Sondagens acertam

Provável vencedor vence nas urnas

Nenhuma sondagem deu a vitória senão a Cavaco Silva ou indicou a possibilidade de uma segunda volta eleitoral. As previsões apontaram para a reeleição com uma votação na casa dos 50/60%. E acertaram.

As projecções avançadas às 20h pela SIC indicavam a vitória de Cavaco com 53,8 por cento dos votos, ficando aquém da melhor previsão - 64,2% (Marktest). Continua em Belém, com um resultado final de 52,94 por cento.

As previsões revelaram-se mais frágeis para os restantes candidatos. Fernando Nobre e José Manuel Coelho contrariaram os números divulgados ao longo de Janeiro. A maior surpresa foi Coelho. A intenção de voto mais favorável atribuiu-lhe 2,7 por cento (Intercampus). A SIC avançou com 3,9%. O madeirense encerrou a votação com 4,5 por cento. Também Nobre superou as expectativas. A projecção televisiva deu-lhe 14,7%, a sondagem mais benéfica não foi além dos 13,3% (Marktest). O médico foi para casa com 14,1%.

Manuel Alegre chegou aos 25,6% (Aximage), começou a noite com escassos 19% e despediu-se com 19,8%. As previsões chegaram a derrotar Francisco Lopes com 3,4 por cento (Marktest). A mais generosa deu-lhe 8,2% (Intercampus) e o comunista fechou a noite com 7,1 por cento. Defensor Moura foi o mais previsível. A SIC projectou 1,6%, o socialista formalizou o resultado com 1,57 por cento. Rita Brandão Guerra

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues