• O que pode dizer de nós – nós Estado, nós cidade, nós teatros, nós público e espectadores, nós artistas – a possibilidade de fim do Alkantara Festival? Vinte e um anos depois, que espécie de maturidade democrática é esta que permite que o mesmo projecto que recusou tornar igual o que era singular possa correr agora o risco de terminar, quando há ainda um mundo inteiro de caminho a percorrer?

  • Jorge Silva Melo cumpre com esta estreia mais uma etapa na missão de divulgar o reportório dramático ocidental e, neste caso em particular, a dramaturgia contemporânea.

  • Uma peça de teatro, uma entrevista, um concerto, uma mostra de rádio são algumas das iniciativas que integram em Maio, em Lisboa, a Cabide, uma revista, não em papel nem em digital, mas ao vivo, foi esta terça-feira anunciado.

  • O actor Diogo Infante apelou esta quinta-feira a um debate sobre a Cultura em Portugal, mas lamentou a inexistência de “interlocutores privilegiados”, afirmando que quem tutela a área ou não vai a espectáculos ou não percebe do assunto.

  • A Mala Voadora estreia esta quinta-feira, Dia Mundial do Teatro, o seu primeiro Shakespeare. Mas este Hamlet que a companhia de Jorge Andrade e José Capela vai estrear nos 450 anos do autor inglês não é, ou assim parece, o Hamlet que nos habituámos a ver.