Primeiro-ministro reiterou posição que Portugal defende desde os anos 1990 sobre uma das questões mais complexas e controversas das Nações Unidas: quem mais deve ter poder de veto na ONU? E retratou Portugal como um país fortemente multilateralista

  • Primeiro-ministro reiterou posição que Portugal defende desde os anos 1990 sobre uma das questões mais complexas e controversas das Nações Unidas: quem mais deve ter poder de veto na ONU? E retratou Portugal como um país fortemente multilateralista

  • Em Junho, o Estado holandês foi parcialmente responsabilizado por 300 mortes no massacre de 1995, que vitimou mais de 8000 muçulmanos. Agora, o Governo tenta reverter a decisão judicial.

  • O secretário-geral da ONU e o Presidente dos EUA têm uma única ponte de diálogo: a ONU tem de ser mais eficaz. Em tudo o resto, há um deserto. O pensamento de Trump é a exacta negação de tudo o que a ONU representa. O pano caiu de uma vez por todas.

  • Falou na Síria, repreendeu os EUA por acharem que podem agir sozinhos. O discurso do Presidente francês foi a antítese do do norte-americano.

  • Na abertura da Assembleia-Geral da ONU, o secretário-geral da organização voltou a apelar às autoridades birmanesas que parem as intervenções militares contra os rohingya.

  • Primeiro discurso do Presidente dos EUA na Assembleia-Geral da ONU marcado por fortes ameaças ao Irão e à Coreia do Norte e por uma defesa do "patriotismo e orgulho" de cada nação.

  • A pretensa reforma de Guterres talvez traga uns tantos empregos e uma mais ampla burocracia. E nada mais.

  • Embaixador da Coreia do Norte em Espanha foi considerado persona non grata pelo Governo de Madrid e tem até ao final do mês para deixar o país.