Santarém inicia festas do Santíssimo Milagre

Uma das mais importantes datas
do calendário religioso da cidade celebra-se hoje e amanhã

As festas do Santíssimo Milagre, com grande tradição em Santarém, decorrem até meados de Maio, mas vão ter as suas principais actividades nos próximos dias. Centradas na Igreja de Santo Estêvão, também conhecida por santuário do Santíssimo Milagre, as festividades incluem cerimónias religiosas, música, procissão pelas ruas de Santarém e conferências sobre esta temática. O programa inicia-se hoje, com vigília e um concerto da Orquestra de Bandolins da Madeira, a realizar no Teatro Sá da Bandeira.
A Grande Festa do Santíssimo Milagre tem lugar amanhã, Domingo de Pascoela, com a veneração da Sagrada Relíquia, missa solene e procissão em que se integra a relíquia. Nos dias seguintes e até 10 de Abril prosseguem as actividades religiosas, que incluem, no dia 5, a celebração do aniversário da proclamação da Igreja do Santíssimo Milagre.

A lenda do homem infiel
A história do Santíssimo Milagre remonta a meados do século XIII (1247 ou 1266, segundo diferentes relatos) e sustenta que, na então vila de Santarém, vivia uma pobre mulher que descobriu que o marido manteria relações extramatrimoniais. A habitante de Santarém resolveu, então, recorrer a uma bruxa de origem judia para que, com os seus feitiços, pusesse fim a esse relacionamento.
Prometeu-lhe a feiticeira um remédio eficaz, mas disse que necessitava de uma hóstia consagrada segundo os rituais católicos. Depois de alguma hesitação, a mulher concordou e foi à Igreja de Santo Estêvão, confessou-se e pediu a comunhão. Recebida a hóstia, tirou-a da boca, sem a desfazer, e embrulhou-a num véu que trazia. Saiu da igreja e encaminhou-se para a casa da feiticeira. Mas, então, sem que ela o notasse, do véu começou a escorrer sangue, que, visto por várias pessoas, levou a que perguntassem à mulher que ferimentos tinha, já que tanto sangue jorrava.
Esta, surpreendida, correu, então, para casa e meteu a hóstia numa arca. Já durante a noite, marido e mulher acordaram e viram a sua casa resplandecente. Da arca saíam misteriosos raios de luz. A mulher contou ao marido o que fizera e os dois passaram o resto da noite de joelhos em adoração.
Rezam as crónicas do Santíssimo Milagre de Santarém que, na manhã seguinte, o pároco foi informado do sucedido e, espalhada a notícia, muita gente acorreu ao local.
A hóstia foi, então, levada para a Igreja de Santo Estêvão, onde ficou conservada dentro duma espécie de custódia feita de cera. Mas, passado algum tempo, ao abrir-se o sacrário para a expor à adoração dos fiéis verificou-se que a cera estava desfeita em pedaços e que a hóstia se encontrava dentro de uma âmbula de cristal. Esta foi colocada numa custódia de prata dourada, onde ainda hoje se encontra, na Igreja de Santo Estêvão.
As festividades vão prosseguir a 15 de Maio com um conjunto de conferências subordinadas ao tema Santuário do Santíssimo Milagre de Santarém: Arte e História, com a participação, entre outros, dos professores Martinho Vicente Rodrigues, Vítor Serrão e Joaquim Veríssimo Serrão.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues