Daniela e as gémeas: empatia, desumanidade e verdade

O amor e o sofrimento de uma mãe não são um banho lustral que limpa qualquer erro.

Ouça este artigo
00:00
03:29

A família é uma coisa muito linda e o pilar da espécie humana há centenas de milhares de anos – mas não é tudo na vida. O amor que sentimos pelos nossos filhos é o mais básico dos instintos – mas não é o valor supremo. Quando era novo vivia fascinado pelo famoso círculo do yin e do yang – o branco e o negro entrelaçados; uma pinga da cor oposta no coração de cada cor. Não percebia um carapau de taoismo, e continuo sem perceber, mas intuía que tudo no universo parece marcado por essa misteriosa dualidade, e que a forma mais assisada de passarmos pela vida é num equilíbrio – sempre instável – entre valores conflituantes. Para o caso em apreço: nem família a mais, nem família a menos.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.