2041 visto por um engenheiro e um autor de ficção científica

O antigo director da Google na China e o escritor de ficção científica chinês Chen Qiufan juntaram-se para escrever um manual sobre o impacto da inteligência artificial nos próximos 20 anos.

Foto
LINBANYE

Estamos em 2041. Aquilo que as pessoas lêem na Internet, as apps que usam, e as pessoas com quem falam online ditam o tipo de seguro de saúde a que têm direito — e o preço que pagam. Na Índia, esta informação é usada para reforçar o antigo sistema de castas. Na China, as restrições sucessivas contra a covid-19 no começo dos anos 2020 resultaram numa geração de jovens adultos com medo de sair de casa e socializar sem tecnologia. No Norte de África grupos criminosos usam máscaras holográficas (a próxima geração das deepfakes) para chantagear celebridades e políticos. Estes cenários fazem parte da visão do futuro do especialista em inteligência artificial Kai-Fu Lee e do escritor de ficção científica chinês Chen Qiufan que se juntaram para escrever o livro AI 2041 (edição portuguesa prevista para Fevereiro deste ano de 2023 pela Relógio d’Água).

Sugerir correcção
Ler 2 comentários