Liberdade individual, liberdade comunitária

Os pequenos atos quotidianos de autocensura ou as leis liberticidas constituem perigosas ameaças à liberdade que vamos permitindo em nome de fantasias ou de falsas ideias.

Muitos milhões de pessoas morreram, ao longo dos últimos dois séculos — para não falar em toda a História da Humanidade anterior à época das Luzes e à Revolução Industrial —, para a defesa da liberdade como valor essencial da vida de qualquer sociedade humana e, obviamente, condição primeira de um regime democrático e da realização pessoal.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários