Subestudadas, subdiagnosticadas, subtratadas

Discutir se faz falta uma estratégia nacional para a saúde da mulher seria sempre relevante, mas quando há mudanças à vista nos serviços de ginecologia e obstetrícia é ainda mais.

Provavelmente, nunca se debateu tanto as desigualdades de género como hoje — ainda que as mudanças que se vão sentido não tenham a dimensão e a intensidade correspondente ao calor do debate público. Há contudo áreas de que se fala menos vezes, como a da saúde.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários