Confinamentos sem fim? Porque a China não pode desistir da política de covid zero

Uma população idosa pouco vacinada e o empenho de Xi Jinping na estratégia que foi orgulho nacional tornam um recuo difícil. Ao mesmo tempo, os casos batem recordes.

pandemia,covid19,coronavirus,xi-jinping,mundo,china,
Fotogaleria
Trabalhador de prevenção da pandemia guarda edifício em zona central de Pequim THOMAS PETER/Reuters
pandemia,covid19,coronavirus,xi-jinping,mundo,china,
Fotogaleria
Entrega de compras num edifício sob isolamento em Pequim TINGSHU WANG/Reuters
pandemia,covid19,coronavirus,xi-jinping,mundo,china,
Fotogaleria
Restaurantes de fast-food encerraram em Pequim MARK R. CRISTINO/EPA

Durante meses e meses, a China conseguiu dominar a covid-19 graças à política que ficou conhecida como “de covid zero”. Durante meses e meses, muitos países do mundo, em confinamento, viam festas em Wuhan (a cidade-epicentro da pandemia) ou Xangai, no que parecia um outro mundo. Hoje, são os chineses que, ao ver as transmissões do Mundial de futebol no Qatar, pensam que estão a ver outro universo: milhares de pessoas, juntas, sem máscaras, sem testes, sem quarentenas.

Sugerir correcção
Ler 14 comentários