Eleição brasileira divide até os grupos de família no WhatsApp

Às vésperas da segunda volta das presidenciais brasileiras, as discussões na rede social mais popular do Brasil resultam em clima estranho, exclusão de participantes e conversas paralelas.

Foto
O Presidente da República, Jair Bolsonaro, é alguém muito activo nas redes sociais Ueslei Marcelino/Reuters

A regra é clara: quem falar de política no grupo da família será excluído por um período. Agora, se a directriz é respeitada, é outra história. No caso da família do fotógrafo Almir Vargas, a paz no grupo “Vovós Sem Política” não durou nem um dia. Por lá, bastou uma integrante mandar a música Deus Me Proteja, de Chico César, para a atitude ser interpretada como provocação por alguns dos participantes.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários