Depois do programa e da autoridade política, Liz Truss desistiu do cargo

Demissão da primeira-ministra precipita a queda do mais curto Governo da história do Reino Unido e agrava crise política britânica. Conservadores querem eleger um novo líder em apenas uma semana, mas a oposição exige legislativas antecipadas. E Johnson pondera voltar.

Foto
Número 10 de Downing Street, em Londres, vai voltar a trocar de inquilino Reuters/TOBY MELVILLE

I am a fighter, not a quitter.” Vinte e quatro horas depois de ter desafiado as bancadas da oposição, no Parlamento de Westminster, em Londres, com estas palavras – traduzíveis para algo como “sou uma lutadora, não sou uma desistente” –, Elizabeth Truss confirmou aquilo que já todos sabiam que iria acontecer, mas que muitos não acreditavam que pudesse ser tão cedo: apresentava a demissão do cargo de primeira-ministra do Reino Unido, apenas 45 dias depois de ter sido eleita pelos militantes do Partido Conservador para suceder a Boris Johnson.

Sugerir correcção
Comentar