A semana mostrou porque a direita não consegue ser oposição

A direita, especialmente o PSD, anda há demasiado tempo sem um programa alternativo e plausível para desalojar o PS do centro. Foi por isso que entregou a António Costa a maioria absoluta.

Poucos terão compreendido o PS tão cedo e tão bem quanto Adelino Amaro da Costa, que um dia escreveu que a verdadeira ideologia dos nossos socialistas era o “charneirismo”. De Soares a Costa, foi sempre assim: o desígnio do PS é ser o partido “charneira” do sistema, que governa sempre e inevitavelmente, sozinho ou com quem for possível e necessário, consoante as circunstâncias e os interesses. Este instinto estratégico tem como reflexo ideológico que o PS está habitualmente mais ao centro do que os adversários supõem ou desejam, porque o que lhe interessa é captar o sentimento popular maioritário de cada momento histórico, seja lá qual for.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários