Um Chardonnay de Lisboa para matar saudades da Borgonha

Sempre que possível, o melhor é desfrutar destas variedades nos seus lugares de origem. Ainda assim, este Adegamãe é um bom testemunho da grande valia do Chardonnay.

Foto
Diogo Lopes é o enólogo da Adegamãe, de onde chega este Chardonnay 2020. Miguel Madeira

As principais castas francesas tornaram-se muito populares no mundo por uma razão essencial: são boas, dão belos vinhos. Não há como negar isso. Claro que a sua massificação é nefasta. Ninguém gosta de beber sempre o mesmo e em qualquer lugar. E ainda mais quando, em muitos lugares, há boas alternativas, cheias de história e tradição. Acresce que uma boa casta em França pode não ser tão boa noutros países, com solos e clima diferentes.

Sugerir correcção
Comentar