Procuradora pede pena de prisão não inferior a 10 anos para arguido do caso SOS Farmácias

Nuno Alcântara Guerreiro foi acusado pelo MP, em Abril de 2016, por 23 crimes de abuso de confiança, seis de insolvência dolosa, um crime de branqueamento de capitais e outro de fraude fiscal, reclamando o Estado cerca de 624 mil euros de IRC.

Foto
Julgamento do processo SOS Farmácia decorreu no Campus da Justiça, em Lisboa Rui Gaudencio

O Ministério Público (MP) pediu esta sexta-feira, no tribunal, no Campus da Justiça, em Lisboa, uma pena de prisão não inferior a 10 anos para Nuno Alcântara Guerreiro, que ficou conhecido como o “Rei das Farmácias”, por ter tido sob o seu domínio 30 farmácias, no âmbito do processo SOS Farmácia.

Sugerir correcção
Ler 4 comentários