Oito filmes falados na casa de Manoel de Oliveira

Anabela Mota Ribeiro é a curadora do ciclo Um filme falado: o cinema e as outras artes, que este sábado começa em Serralves com Visita, ou Memórias e Confissões, comentado por um arquitecto, Nuno Grande, e uma cineasta, Catarina Mourão.

catarina-mourao,cinema,culturaipsilon,manoel-oliveira,serralves,arquitectura,
Fotogaleria
Visita, ou Memória e Confissões, de Manoel de Oliveira DR
catarina-mourao,cinema,culturaipsilon,manoel-oliveira,serralves,arquitectura,
Fotogaleria
A Comédia e a Vida, de Jean Renoir DR
catarina-mourao,cinema,culturaipsilon,manoel-oliveira,serralves,arquitectura,
Fotogaleria
Utamaro e as suas Cinco Mulheres, de Kenji Mizoguchi DR

Manoel de Oliveira (1908-2015) teve diversas casas entre a sua longa vida e a posteridade. Entre elas encontra-se a Casa da Vilarinha, projectada em 1940 pelo arquitecto José Porto, onde a sua família viveu durante quatro décadas, e que o realizador decidiu registar na sua filmografia e em circunstâncias muito especiais: filmou Visita, ou Memória e Confissões em 1982, mas determinou que a obra só se estrearia após a sua morte. É com o regresso a esta obra que abre este sábado, às 17h, na Casa do Cinema Manoel de Oliveira, no Porto, o ciclo Um filme falado: o cinema e as outras artes.

Sugerir correcção
Comentar