Entre o jogo de olhares de François Chaignaud e a fantasia de Tânia Carvalho

O Rivoli apresenta as peças criadas pelos dois coreógrafos para a companhia Dançando com a Diferença, numa sessão dupla este sábado e domingo.

Foto
Blasons, de François Chaignaud Tiago Lopes

Depois do díptico que juntou o português Marco da Silva Ferreira e o franco-senegalês Amala Dianor à companhia sul-africana Via Katlehong, o Teatro Municipal do Porto (TMP) volta a apostar num double bill em que se propõem duas visões de dois coreógrafos para a mesma companhia, em mais um capítulo da Temporada Cruzada Portugal-França 2022.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários