Geoffroy de Lagasnerie: “Há hoje um regresso à ideia de que a sexualidade é um domínio traumático”

Uma crítica da razão penal e do feminismo que exacerba a sua lógica, num tempo em que, sobre as questões da sexualidade, a esquerda passou a falar a mesma linguagem da direita e contribuiu para o consenso: poderia ser assim uma descrição sumária deste entrevista a Geoffroy de Lagasnerie.

Foto
Oliver Abraham

Geoffroy de Lagasnerie é filósofo e sociólogo. As questões do Estado penal e da violência que lhe é inerente estão no centro de alguns dos seus ensaios filosófico-políticos que se situam num ambiente de pensamento que pertence à linhagem de Michel Foucault e ousam uma afirmação radical. Juger (2016), Penser dans um monde mauvais (2017), La conscience politique (2019) são alguns dos seus títulos. Em tradução portuguesa, BCF Editores publicou no ano passado Sair da Nossa Impotência Política e, recentemente, O Meu Corpo, Este Desejo, Esta Lei. Reflexões sobre a Política da Sexualidade. Este livro, diz uma nota de abertura “é a versão desenvolvida de uma conferência proferida por ocasião do colóquio ‘Edouard Louis: Escrever a violência”, ocorrido na Cidade Universitária de Paris, a 19 de Junho de 2021, e deve ser lido como tal”. A conversa que resultou na entrevista que se segue teve lugar através da plataforma zoom.

Sugerir correcção
Ler 10 comentários