Um ano a ver o Afeganistão a partir de Lisboa: “O meu país está devastado e o futuro é assustador”

Aos 39 anos, Hamid Hamdard, pai de três filhas, tenta recomeçar a construir a vida em Portugal. Acredita que fará desta a sua nova casa, mas teme não poder regressar a Cabul e sofre por não estar a “devolver aos afegãos” o que estes investiram em si.

Foto
Hamid Hamdard vive dividido entre o futuro que está a construir em Portugal e o que deixou para trás no seu país Nuno Alexandre

Quando o irmão lhe telefonou de Londres e lhe disse que tinha duas horas para chegar ao local marcado para iniciar a fuga, Hamid Hamdard estava sentado à mesa, a jantar com a mulher e as três filhas. Foi o início de uma longa viagem que o levaria a aterrar em Lisboa, a 29 de Agosto do ano passado. “A comida ficou na mesa. Trouxemos uma muda de roupa cada”, conta. “Entrámos no avião sem saber para onde íamos. Perguntei e disseram-me apenas para estar tranquilo e me sentar.” Quando finalmente chegou com a família a Madrid e lhe ofereceram a hipótese de acolhimento em Portugal, não pensou duas vezes.

Sugerir correcção
Ler 29 comentários