Três momentos de indignidade

Tríptico ficcional baseado em três histórias reais que nos questionam sobre a nossa relação com os animais.

Foto
Joseph Andras: é essencial que a literatura se envolva no político Rezvan S.

Publicado em 2016 em França, e nesse ano vencedor do prémio Goncourt para primeiro romance (com um júri presidido por Bernard Pivot), Dos Nossos Irmãos Feridos (Antígona, 2021) revelou uma das vozes mais talentosas e desassombradas da nova literatura francesa, Joseph Andras (1984), que de imediato recusou o prémio, tornando pública uma carta em que fazia notar que a sua visão da literatura “não é compatível com a ideia de competição”, que a concorrência e a rivalidade são alheias à sua escrita e à criação. O escritor, que colabora regularmente com o jornal L'Humanité, quase não dá entrevistas e subsistem ainda dúvidas quanto à sua verdadeira identidade.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários