China divulga planos para “reunificação pacífica” com Taiwan sem “renunciar ao uso da força”

Novo “livro branco” do PCC sobre a reivindicação “histórica” da soberania da ilha reforça promessa de sistema de governo semelhante ao de Hong Kong e Macau. Exército chinês diz que “concluiu com sucesso” vários objectivos dos exercícios militares, mas vai manter “patrulhas regulares” no estreito de Taiwan.

Foto
Xi Jinping, Presidente chinês, não esconde que a reunificação é um dos objectivos da sua governação Reuters/STAFF

Numa altura em que os vários ramos das suas Forças Armadas entravam no sexto dia de exercícios militares sem precedentes em redor de Taiwan, em resposta à visita da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, à ilha, o Governo da República Popular da China publicou nesta quarta-feira o seu terceiro “livro branco” sobre os méritos e sobre os seus planos “mais sinceros” para uma “reunificação pacífica” com o território. A realização dessa “missão histórica”, sublinha, no entanto, não se coibirá de envolver o recurso à força, se necessário.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários