A centenária água Castello dá mote a caminhada em Moura

A célebre água com gás alentejana soma 123 anos de história. Passeio está marcado para 14 de Agosto.

Foto
Autarquia quer salientar “a importância histórica da marca Castello na vivência da cidade" CM Moura

“Do Castello até Pisões”. É este o tema de um dos Percursos Temático da Água do concelho de Moura, no distrito de Beja.

A realizar-se dia 14 de Agosto (gratuito, mas com inscrição obrigatória), a caminhada é curta, mas rica em atracções, história e, claro, água.

Começa no Castelo de Moura, local da primeira unidade de exploração da marca Castello, que ostenta orgulhosamente no seu rótulo “Moura, Portugal. Desde 1899”.

Em Pisões, visitar-se-á o Museu Castello, “estando ainda disponível um autocarro que assegurará o regresso dos participantes a Moura”, informa a autarquia, que assegura a iniciativa em parceria com a marca. O museu foi inaugurado em 2011, tendo vindo a ser revisto e aumentado nos últimos anos.

Pisões, Castello CM Moura
Pisões, Castello CM Moura
Pisões, Castello CM Moura
O Castelo de Moura CM Moura
Fotogaleria
CM Moura

Inicialmente lançada como Agua Minero Gazosa Natural pela Empreza das Aguas de Moura, inaugurou em 1937 a sua Unidade de Engarrafamento em Pisões. Popularizada com anúncios entretanto tornados clássicos, como com o actor António Silva. A água mineral natural gaseificada, que depois de muita história foi adquirida pela Central de Cervejas em 2019, é certificada como sendo “rica em bicarbonatos, magnésio e cálcio e ter um baixo teor de sódio”.

Foto
Um dos clássicos anúncios da água Castello

O passeio agora a realizar (e que habitualmente é agendado pela autarquia ao longo do ano), é considerado como tendo um grau de dificuldade fácil. A inscrição deverá ser feita via 285 251 375 ou moura.turismo@cm-moura.pt.

Para a autarquia, este percurso, que une o turismo de natureza ao turismo industrial, insere-se “na estratégia de desenvolvimento local, em que se pretende valorizar o activo territorial “Água” nas suas diversas dimensões enquanto património natural, cultural e paisagístico”.

Naturalmente, a parceria Castello/autarquia quer também salientar “a importância histórica da marca Castello na vivência da cidade, preservando a ‘memória’ e potenciando esse ‘passado’ como oferta cultural e turística”.

Sugerir correcção
Comentar