Bom coração e falta de jeito

Casa de Repouso é a história clássica de conversão ao bom caminho, esquemática e caricatural.

Foto
Uma ideia de casting: os habitantes da casa de repouso são velhas figuras do cinema francês

Destas comédias francesas blockbuster (2 milhões de espectadores em França para Casa de Repouso, informa a internet) devemos aproximar-nos com todo o cuidado, é o que manda a experiência. No caso deste filme de Thomas Gilou (um neto de Blaise Cendrars, também informa a internet) demora alguns minutos até percebermos que não vem para exibir a boçalidade ressentida do último exemplo do género que por cá vimos (o Adeus, Idiotas de Albert Dupontel). É boçal, ou lá perto, mas não há ressentimento, há até bom coração. Mal gerido, caricaturalmente gerido, mas um bom coração.

Sugerir correcção
Comentar