Urgências vão encaminhar para centros de saúde só os doentes que aceitarem ir

Circular determina que hospitais passem a propor aos doentes triados com pulseiras verdes ou azuis nos serviços de urgência que sejam atendidos, em alternativa, nos centros de saúde. Mas os projectos deste tipo que vários hospitais lançaram até à data esbarraram no desinteresse dos doentes.

Foto
Os hospitais vão ainda articular esta medida com os centros de saúde Paulo Pimenta

Num futuro próximo, os doentes triados como pouco urgentes (pulseira de cor verde) ou não urgentes (azul) nos serviços de urgência hospitalares vão passar, por norma, a ser encaminhados para os centros de saúde, onde terão que ser atendidos no prazo máximo de 24 horas. Mas isto apenas se aplica aos que aceitarem ser vistos por um médico noutro local. Isto é o que estipula a “circular normativa” da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS) que está em vigor desde o final da semana passada e que determina que os hospitais públicos devem definir, em conjunto com os agrupamentos dos centros de saúde (Aces), “protocolos administrativos de referenciação” destes doentes para as unidades dos cuidados de saúde primários (centros de saúde) ou para “respostas hospitalares programadas”.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários