Porcos recuperam funções celulares e circulação sanguínea uma hora depois da morte

Já em 2019, equipa da Universidade de Yale (EUA) conduziu uma experiência que restabeleceu a actividade celular do cérebro de porcos, quatro horas após a morte. Agora, os resultados abarcam o corpo todo.

Foto
Neurónios activos numa região do hipocampo dos porcos mortos após o tratamento Nenad Sestan/Universidade de Yale

Não há fluxo sanguíneo e o coração pára. A paragem cardíaca impede que o sangue chegue a outros órgãos vitais privando-os de oxigénio: sem oxigénio, as células e órgãos do nosso corpo destroem-se e morremos. É este ciclo normal que uma equipa da Universidade de Yale (Estados Unidos) procurou desafiar. Os cientistas recolocaram o sangue em circulação, restauraram a actividade de algumas células e preservaram tecidos de órgãos vitais durante seis horas, em porcos cuja morte já tinha sido decretada há uma hora.

Sugerir correcção
Ler 5 comentários