Jessica voltou para a Austrália com uma sanduíche na bagagem. Foi multada em 1800 euros

Eis como Jessica Lee, num voo de regresso ao seu país, a Austrália, se descobriu proprietária da “sanduíche mais cara do mundo”. Um lembrete a todos os viajantes para estarem muito atentos às leis e regras de cada país para o que podem e não podem transportar nos voos internacionais. Mas esta história tem um final feliz à influencer, polvilhado de magia das redes sociais.

Foto
Uma sandes similar custou a Jessica Lee uma multa australiana para nunca mais esquecer dr/Subway

A sanduíche mais cara do mundo é feita de pão levedado com champanhe Dom Pérignon​ e cozido com ouro de 23 quilates para depois ser recheado com caciocavallo podolico, um queijo do Sul de Itália, produzido a partir do leite e que apenas 25 mil vacas garantem durante uns curtos dois meses por ano. Existe no Serendipity 3, em Nova Iorque, chama-se Quintessential Grilled Cheese Sandwich e custa 214 dólares (210€). Uma jovem, porém, conseguiu pagar oito vezes mais por uma — e pelas piores razões.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários