Balanço positivo da bienal do livro de onde se saiu melhor do que se entrou

Terminou neste domingo a Bienal Internacional do Livro onde Portugal foi o país convidado. Com 660 mil visitantes, bateu todos os recordes de público e de vendas. O livro mais vendido na livraria do Pavilhão de Portugal foi Cabeça Fria, Coração Quente, escrito na primeira pessoa por Abel Ferreira e pela sua equipa técnica.

valter-hugo-mae,literatura,culturaipsilon,livros,brasil,cplp,
Fotogaleria
O bondinho no Pavilhão de Portugal na Bienal Internacional do Livro de São Paulo dr
valter-hugo-mae,literatura,culturaipsilon,livros,brasil,cplp,
Fotogaleria

O slogan publicitário da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, onde Portugal foi o país convidado, que encerrou no domingo à noite, com 660 mil visitantes em nove dias, ultrapassando as expectativas, era a frase: “Todo o mundo sai melhor do que entrou”.

Sugerir correcção
Comentar