O detector de matéria escura mais sensível do mundo também tem portugueses

O detector Lux-Zeplin quer ser o primeiro a observar partículas de matéria escura: uma “caça” que já dura há mais de meio século. O projecto inclui uma equipa da Universidade de Coimbra.

Foto
O detector Lux-Zeplin está instalado numa antiga mina de ouro no Dakota do Sul, nos EUA Matthew Kapust/Sanford Lab

O objectivo está traçado há anos: detectar partículas de matéria escura. A tarefa é difícil e ainda poderá demorar vários anos a ficar concluída, mas os primeiros 60 dias do Lux-Zeplin deram sinais positivos, demonstrando que este detector de matéria escura é o mais sensível do mundo. Instalado numa antiga mina de ouro no Dakota do Sul (Estados Unidos), o detector poderá permitir identificar a presença de matéria escura, mesmo que ela seja muito discreta.

Sugerir correcção
Comentar