Há novos aliados na defesa da floresta: os garranos vão comer os matos que alimentam o fogo na serra da Cabreira

Protocolo estabelecido entre a REN, a Câmara Municipal de Vieira do Minho e duas associações vai utilizar a alimentação dos cavalos da raça garrano para prevenir incêndios na serra da Cabreira. Outro dos objectivos passa por preservar a raça autóctone que em 50 anos perdeu mais de 58 mil cavalos.

Foto
Os cavalos garranos podem ajudar a prevenir os incêndios

A serra da Cabreira é mais um daqueles lugares no Minho onde a paisagem, com vista privilegiada sobre o rio Cávado e dona de uma flora ímpar, domina o olhar. É também lá, no ponto mais elevado do concelho de Vieira do Minho, que está parte dos cavalos da raça garrano. Em dias de calor intenso, como nesta quinta-feira, o cavalo, que se distingue pelo porte pequeno, cor castanha e passo invulgar, esconde-se à sombra e poucas vezes se mostra. Mas, como o dia era cerimonial, alguns dos garranos selvagens que pertencem à manada de 300 que habita a serra lá deram um ar de sua graça e, pouco depois das 16h, já se mostravam nas pastagens.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários