Bruno Pereira (1980-2022), um “escudo” dos povos indígenas da Amazónia

Mais do que um funcionário público, Bruno Pereira era um protector, amigo e conhecedor profundo dos povos isolados do vale do Javari, no Norte da Amazónia. Foi assassinado durante uma expedição na floresta por causa do seu trabalho de defesa das terras indígenas.

Foto
Bruno Pereira assumiu sempre o sonho de trabalhar na Amazónia na protecção dos povos indígenas e foi no exercício dessa missão que foi assassinado DR

“Eu sei que Beto, ‘o Índio’, é contra nós e que Bruno da Funai é um dos que mandam os índios confiscarem os nossos motores e levarem o nosso peixe. Se quiserem causar danos, é melhor estarem preparados. Vocês foram avisados.” Em Abril, esta carta anónima chegou aos escritórios da organização para a qual o especialista em assuntos indígenas Bruno Pereira trabalhava desde 2019. Dois meses depois, o seu corpo foi encontrado numa vala nas margens do rio Itaquaí, no Norte do estado do Amazonas, ao lado do cadáver do jornalista britânico Dom Phillips.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários