Theodor Kallifatides: “Há uma guerra contra os pobres e não contra a pobreza”

Escritor, tradutor, director de uma revista literária e professor de Filosofia. A vida de Theodor Kallifatides andou sempre à volta das palavras. Nesta conversa — à boleia do lançamento do livro Outra Vida para Viver (Quetzal), uma reflexão sobre a Europa, a emigração e os refugiados — antevê uma revolta dos mais pobres.

Foto
Theodor Kallifatides, de 84 anos, construiu toda a sua carreira literária a escrever em sueco, mas voltou recentemente ao grego

Nunca estivera em Lisboa e ficou dois dias. Caminhou tanto no primeiro que, naquela manhã do primeiro de Junho, Theodor Kallifatides, o autor de origem grega mas que construiu uma bem-sucedida carreira literária na Suécia confessa-se cansado. São os 84 anos, mas, tal como aconteceu ao seu sogro que ultrapassou os 100 anos, prevê viver ainda muitos e bons anos. Já não escreve como outrora, lamenta, faz pequenos ensaios. Um dos seus últimos títulos é o que o fez vir a Portugal. Chama-se Outra Vida para Viver e é uma reflexão sobre a Europa, a emigração, os refugiados e a pobreza.

Sugerir correcção
Ler 31 comentários