Crise política: presidente do PS admite ter estado preocupado mas agora já não está

Carlos César fala de “24 horas de muita tensão e de frenesim”. Ex-ministra Alexandra Leitão declara que o que importa é perceber a causa da situação e reflectir sobre ela.

Foto
António Costa com o presidente do PS, Carlos César Rui Gaudencio

Apesar do estrondo, os estilhaços da crise política que se abateu esta quinta-feira sobre o Governo, e que deixou o ministro das Infra-estruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, debaixo de fogo por ter avançado com a publicação de um despacho sobre o futuro aeroporto de Lisboa sem o consentimento do primeiro-ministro, parecem não ter impacto no executivo socialista. Pelo menos é essa a convicção dos socialistas ouvidos pelo PÚBLICO.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários