“Rapto” de sistemas informáticos cai com guerra no Leste da Europa

Pôr os aparelhos eletrónicos a “falar” russo ou ucraniano pode evitar muitos ciberataques, com redes de hackers no Leste europeu a desmantelarem-se devido à guerra. A sugestão é do presidente executivo da empresa de segurança checa Avast, em conversa com o PÚBLICO sobre o futuro da cibersegurança.

Foto
“A diminuição é pequena, mas mostra uma tendência. O conflito desestabilizou as operações de muitos grupos” REUTERS/Jason Redmond

O “rapto” de sistemas e dados informáticos tem vindo a cair nos últimos cinco meses em muitos países do mundo. Parte das redes de criminosos, com membros russos e ucranianos, colapsaram em guerras internas desde o começo da guerra no Leste da Europa. Outras, estão a apoiar os seus governos. A análise é do presidente executivo da empresa de segurança checa Avast que tem estado a monitorizar o panorama global de ransomware. No futuro, pôr os aparelhos electrónicos a “falar” russo e ucraniano também pode evitar muitos ataques.

Sugerir correcção
Comentar