O dia em que Pedro Nuno pôs a corda ao pescoço e se humilhou para ficar no Governo

Foram cerca de 24 horas de montanha russa para o Governo. Da solução para o novo aeroporto de Lisboa ao regresso à estaca zero, da demissão iminente de Pedro Nuno Santos ao perdão concedido por António Costa, foi um dia de reviravoltas.

Foto
António Costa com Pedro Nuno Santos Rui Gaudêncio

Em oito horas, António Costa passou da vontade de demitir Pedro Nuno Santos à manutenção do ministro que fez “um erro grave”, mas pediu desculpa. Pedro Nuno fez de Egas Moniz e apresentou-se com a corda ao pescoço perante o rei de Castela desta história, António Costa. Pedro Nuno não queria mesmo sair do Governo e a contrapartida foi um humilhante acto de contrição. Marcelo Rebelo de Sousa, por seu turno, lembrou que o responsável por “escolhas infelizes” é Costa.

Sugerir correcção
Ler 95 comentários