Bolsonaro tenta demarcar-se de escândalo no Ministério da Educação para manter apoio evangélico

A prisão do ex-ministro e pastor evangélico Milton Ribeiro, por participação num alegado esquema de corrupção pode fragilizar a posição de Bolsonaro junto das igrejas.

Foto
Bolsonaro chegou a manifestar uma confiança inabalável em Milton Ribeiro ADRIANO MACHADO / Reuters

O nome do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, volta a estar ligado a um escândalo de corrupção, desta vez protagonizado pelo ex-ministro da Educação, o pastor presbiteriano Milton Ribeiro. As ramificações do caso podem fragilizar ainda mais as hipóteses de Bolsonaro ser reeleito em Outubro, mas os seus aliados não acreditam que haja repercussões junto do eleitorado evangélico, fundamental para qualquer estratégia do actual chefe de Estado.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários