Na repressão e nas conquistas LGBT também se lê a história de Portugal

No museu do Aljube, em Lisboa, inaugura Adeus, Pátria e Família, uma exposição que traça a história das tensões, resistências e conquistas pela diversidade sexual e de género em Portugal, durante a ditadura e no pós-25 de Abril de 1974.

Foto
Um momento fundador: a rebelião da comunidade LGBT em Stonewall, Nova Iorque, 1969 Rui Gaudêncio

São 48 anos de ditadura e 48 anos de democracia, entre tensões, repressões, resistências e avanços pela diversidade sexual e de género em Portugal. É a exposição Adeus, Pátria e Família, que inaugura esta terça-feira no Museu do Aljube – Resistência e Liberdade, em Lisboa, prolongando-se até 29 de Janeiro de 2023, e que dá a ver como esses cambiantes condicionaram a vida quotidiana de muita gente e perpetuaram práticas e discursos opressivos e discriminatórios, marcando a sociedade portuguesa.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários