Armindo Cardoso: fotografar as pessoas, mesmo quando elas não estão lá

Homem discreto e de poucas palavras, Armindo Cardoso faz parte de uma geração de portugueses que experimentaram revoluções várias, dentro e fora do país. O volume que reúne algumas das fotografias que tirou entre 1967 e 2010 chegou agora às livrarias.

Foto
Comemorações do Dia Nacional do Chile na Plaza de Armas, Santiago do Chile (1971) Armindo Cardoso

Quer seja a fotografar um plenário em pleno PREC (Processo Revolucionário em Curso), quer seja o Arsenal do Alfeite ou um povoado agrícola no Chile, em tempos de mudança, o foco de Armindo Cardoso é sempre o mesmo — as pessoas. Mesmo quando elas não estão lá, como no caso dos escritórios abandonados das fábricas da Margem Sul, com folhas espalhadas pelo chão e cadeiras vazias.

Sugerir correcção
Comentar