A forja perdida de Macron

A nova configuração do hemiciclo do Palais Bourbon permite concluir que o élan reformista de Macron - já esbatido - não terá qualquer hipótese de se afirmar nos próximos tempos.

Na segunda volta das eleições para a Assembleia Nacional francesa a abstenção maciça (e reiterada) representou uma verdadeira implosão do sistema de governação e uma revolução silenciosa altamente preocupante, uma greve eleitoral maciça com consequências imprevisíveis, revelando um misto de descrença e de desdém pela classe política e de algum modo constituindo um referendo anti-Macron.

Sugerir correcção
Comentar