Curso superior português rende menos do que secundário em 12 países da UE

Trabalhadores com o secundário de 12 países ou com o básico de quatro países recebem mais, em média, do que os diplomados portugueses. Numa década, Portugal só subiu salários dos menos qualificados.

Foto
A produtividade cresceu menos do que as qualificações e o rendimento médio líquido da população portuguesa mais qualificada, entre os 18 aos 64, é hoje mais baixo do que há dez anos LUSA/ESTELA SILVA (arquivo)

Por mais sombrio que pareça o título, impõe-se começar este artigo com uma constatação: mais educação aumenta a probabilidade de emprego; abre a porta a rendimentos mais elevados; e conduz a melhor saúde mental.

Sugerir correcção
Ler 63 comentários