Um belo e esquivo Bailador do Dão

Dois vinhos da mesma casta, do mesmo ano e com o mesmo teor de álcool mas de duas regiões e países diferentes: o Bailador 2019, do Dão, e o Raul Perez Valtuille Rapelao 2019, de Bierzo.

Foto

Para se perceber a real valia de um vinho, o melhor é prová-lo ao lado de outro cuja valia é reconhecidamente similar ou até superior. Quando provamos sem um termo de comparação, poderemos sobrevalorizar ou subvalorizar o que temos pela frente. Quantos de nós não provámos já um vinho que julgávamos muito bom e, depois de provarmos outros, percebemos que tínhamos exagerado?

Sugerir correcção
Comentar