Gary Payton II foi por atalhos imperfeitos até ao topo da NBA

Na escola, pela dislexia, ou no basquetebol, pela falta de talento puro, Payton ficou quase sempre atrás dos demais. Só fugiu a essa sina por conhecer o conceito de adaptação, aceitar-se como diferente e não recusar caminhos sinuosos para chegar ao estrelato.

Foto
Gary Payton ao lado de Stephen Curry Reuters/Paul Rutherford

Os Golden State Warriors conquistaram há poucas horas o sétimo título na NBA. Quando se fala dos campeões fala-se da magia suprema de Curry, do ansiado regresso de Thompson, do crescimento estrelar de Wiggins, da liderança louca de Green ou da ideologia firme do treinador Kerr. Mas nem só de talento planetário se fez o quarto título da equipa de São Francisco em oito anos.

Sugerir correcção
Comentar