À boleia de Johny Pitts pelos lugares da Afro-Europa

De Moscovo a Lisboa, com passagem por Marselha ou Berlim. No livro Afropeu – A Diáspora Negra na Europa, o inglês Johny Pitts leva-nos por lugares tantas vezes invisíveis, num desafio à nossa percepção da Europa. “O passado não está atrás de nós, rodeia-nos das mais diversas maneiras, assumindo formas inesperadas. O legado do colonialismo continua por aí, no espaço público, e também nas estruturas de poder”, afirma.

Foto
Johny Pitts

As prateleiras preguiçosas e dominantes têm dificuldade em enquadrá-lo. Por facilidade dizemos que é escritor e fotógrafo, interessado nos temas da identidade afro-europeia, mas o inglês Johny Pitts é mais do que isso. Move-se naquele terreno instável onde a academia, os estudos culturais, a crítica cultural, o jornalismo, a cultura popular, a música, a arte e as questões sociopolíticas fazem parte da mesma totalidade.

Sugerir correcção
Ler 9 comentários