Cancro do rim: “Um ensaio clínico pode significar a diferença entre a vida e a morte”

Por ano, cerca de 1191 pessoas são diagnosticadas com a doença em Portugal. Vista como “muito silenciosa”, carece de linhas de tratamento e de mais ensaios clínicos. No Dia Mundial do Cancro do Rim, Francisco Rodrigues, da AC Rim, e o urologista Ricardo Leão partilham o que sabem sobre uma doença que não afeta todos de igual forma.

Foto
Geralmente, o diagnóstico dá-se entre os 50 e os 70 anos, sendo mais frequente entre homens do que mulheres Daniel Rocha / Arquivo

“O cancro do rim é muito silencioso”, assinala Francisco Rodrigues, presidente da Associação de Cancro do Rim (AC Rim). Quando questionado se sabia alguma coisa sobre a doença na altura do diagnóstico há seis anos, não hesita: “Não, de todo”.

Sugerir correcção
Comentar