Mariana Vieira da Silva: “Estamos disponíveis para aceitar aquela que for a solução com que o PSD está confortável” para o novo aeroporto

A ministra da Presidência destaca o papel do PSD nos acordos de fundo para o país e embora atire que não sabe “quanto tempo dura” uma nova liderança no partido dos sociais-democratas, Mariana Vieira da Silva acredita que o novo rosto do PSD será “uma nova oportunidade” para criar entendimentos com o segundo maior partido.

Foto
Mariana Vieira da Silva é ministra da Presidência e a número "dois" do executivo socialista Daniel Rocha

Procurar um “acordo alargado” entre os “dois maiores partidos” para evitar “andar para trás e para a frente” sempre que muda um Governo é a justificação dada pela ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em relação à “disponibilidade” do executivo (de maioria absoluta) em sentar-se com o PSD para fechar um entendimento em relação à construção do novo aeroporto de Lisboa e à linha ferroviária de alta velocidade (TGV). Em entrevista ao programa Hora da Verdade do PÚBLICO e da Renascença (que será integralmente transmitida às 23h), Vieira da Silva afirma que o Governo procura um “acordo sustentável no tempo” e por isso admite “ceder” àquela que for a vontade dos sociais-democratas, agora liderados por Luís Montenegro. A governante admite ainda mais entendimentos noutras áreas estruturais ou na escolha do próximo presidente do Tribunal Constitucional e sublinha a importância de “um partido de oposição forte”. Sobre o novo líder, Mariana Vieira da Silva não se alonga em considerações, mas não esconde que o jogo político mudou nas últimas eleições e prefere agora destacar a “maioria tão significativa” da bancada social-democrata, distinguindo-a da restante oposição, os ex-parceiros de negociação e partidos à esquerda do PS.

Sugerir correcção
Ler 13 comentários