Madrid está a 30 anos de Lisboa em alta velocidade

Há três décadas, Espanha inaugurou os primeiros 471 quilómetros daquela que é hoje a maior rede de alta velocidade ferroviária na Europa. Mas a aposta no “comboio do futuro” levou ao fecho de partes da rede convencional. E deixou lições para Portugal, quando estamos a dias da inauguração do primeiro troço de alta velocidade na linha Madrid-Badajoz (que um dia seguirá para Lisboa) e na década em que deveremos ver surgir os primeiros quilómetros de alta velocidade em território português.

Foto
Os investimentos milionários na alta velocidade totalizam 57 mil milhões de euros desde 1992 Renfe

Quando o comboio chegou pela primeira vez aos 250 quilómetros por hora entre Madrid e Sevilha já “as vacas pareciam porcos”, assim descreveu o jornalista Ignacio Carrión no diário El País a sensação de deslizar sobre carris a velocidades nunca vistas na Península Ibérica. Tudo parecia novo naquela primeira viagem comercial de um comboio do AVE, sigla para Alta Velocidad Española operada pela Renfe. Era Abril de 1992 e a Exposição Universal de Sevilha tinha acabado de ser inaugurada.

Sugerir correcção
Ler 25 comentários