Os vinhos frescos e vivos de Trás-os-Montes que os consumidores tardam em descobrir

Com novas vinhas e adegas, enólogos conhecedores, condições naturais diferenciadas e um património único de vinhas centenárias, o gigante começa a despertar. E a potenciar toda a frescura e equilíbrio que é dado pelas uvas que se fazem sempre numa altitude média acima dos 500 metros.

Foto
DR

Com um património de vinha único e diferenciado, vinhos de grande classe e de perfil distinto, a região de Trás-os-Montes parece andar ainda à procura da unidade que a afirme junto dos consumidores. É uma mina por explorar, uma espécie de tesouro de família, que está seguro dentro de casa, que todos apreciam mas do qual não tiram partido ou proveito.

Sugerir correcção
Comentar