Linda Jackson: “Seria muito arrogante dizer que vou acabar com motores a combustão”

Carros que permitam “’conduzir’ sem pés, sem mãos, sem olhar” precisam de uma “tecnologia tão cara” que a presidente da Peugeot, Linda Jackson, duvida que venham a ser acessíveis aos seus clientes.

Foto
“Sou uma crente naquilo a que chamo de fidigital; se se estiver a comprar um carro, querer-se-á tocar, sentir o veículo. E querer-se-á falar com alguém sobre o tema”, defende Linda Jackson. DR

Depois de seis anos à frente dos destinos da Citroën, a britânica Linda Jackson assumiu a presidência da Peugeot em 2021, a tempo do lançamento do relevante compacto familiar 308, que conquistou o título de Carro do Ano nos Women’s World Car of The Year, organização que reúne 56 jornalistas, de 43 países (Portugal incluído) de todos os continentes, que trabalham o sector automóvel, e cujo propósito passa por defender o direito de todas as mulheres à mobilidade e dar mais voz às mulheres da indústria — ainda assim, em 13 anos de existência, esta foi a primeira vez que o troféu foi entregue a uma marca cuja presidência está nas mãos de uma mulher que acredita que o género não define qualquer papel específico, mas que defende “que devemos destacar-nos e dar a conhecer as nossas vozes”, num sector em que metade dos clientes são mulheres.

Sugerir correcção
Ler 15 comentários