Formigas amazónicas num jardim tropical — o Foodtopia chega a Lisboa em Julho

Novo festival gastronómico de comida de rua tem o brasileiro Alex Atala como embaixador e junta mais de meia centena de chefs nacionais e internacionais — com destaque para a participação francesa.

,Chefe de cozinha
Fotogaleria
O brasileiro Alex Atala promete trazer formigas da Amazónia para dar a provar a iguaria DR/Dom Restaurante
restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,lisboa,turismo,
Fotogaleria
restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,lisboa,turismo,
Fotogaleria
Nelson Garrido
restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,lisboa,turismo,
Fotogaleria
restauracao,alimentacao,gastronomia,fugas,lisboa,turismo,
Fotogaleria
C.A.Garcia�

O chef brasileiro Alex Atala, que será o embaixador do 1.º Festival Internacional de Comida de Rua de Lisboa, promete trazer formigas da Amazónia para dar a provar a todos os que, nos dias 2 e 3 de Julho, forem até ao Jardim Botânico Tropical, em Belém, Lisboa, que será o palco do Foodtopia.

Mas haverá muito mais neste festival que promete comida e histórias sobre comida, e que traz “mais de 50 chefs nacionais e internacionais que irão transpor a sua identidade” para um prato de street food, explica a organização. A ideia partiu da Amuse Bouche, que já organizou vários outros eventos gastronómicos, entre os quais o Sangue na Guelra e o Arrebita, levando chefs e cozinheiros a diferentes regiões do país, e que desta vez se junta ao Turismo de Portugal para aquela a que chama A Feast of Food and Stories.

Entre os nomes já confirmados estão os dos chefs Henrique Sá Pessoa (Alma, Lisboa, duas estrelas Michelin), Rui Paula (Casa de Cá da Boa Nova, Leça da Palmeira, duas estrelas), Michele Marques (Mercearia Gadanha, Estremoz), Marlene Vieira (Marlene, Lisboa) e António Galapito (Prado, Lisboa).

O objectivo, explicaram Ana Músico e Paulo Barata na apresentação do Foodtopia, esta quarta-feira, no Grémio Literário, em Lisboa, é cruzar o fine dining com comida mais tradicional — e nesta área estarão grandes referências como a cervejaria Ramiro e o Solar dos Presuntos (ambos de Lisboa) ou o Mugasa (Anadia), famoso pela forma exímia como prepara o célebre leitão da Bairrada.

Foto
O chef brasileiro Alex Atala é o embaixador do Foodtopia DR

Estas utopias gastronómicas abrem-se igualmente às cozinhas de “algumas das comunidades mais representativas no país, como Moçambique, Guiné-Bissau, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Brasil, Timor, Goa ou Macau. Chefs como Helt Araújo e Tony Fox, conhecido como Rei da Cachupa, estarão também a cozinhar no belíssimo cenário do Jardim Botânico Tropical, onde existem “mais de 600 espécies de origem tropical ou subtropical, originárias de vários continentes”.

A toda esta mescla de sabores junta-se ainda a cozinha francesa, dado que o Foodtopia está inserido na programação da Temporada Cruzada Portugal-França 2022. Assim, será possível provar iguarias preparadas por chefs franceses a viver em Portugal, como Vincent Farges (Epur, Lisboa, uma estrela Michelin), e outros vindos de França, como Krishna Léger (Volver, Serviers-et-Labagne) ou o chef nómada francês Jean-Luc Damien-Verdeau.

No dia 2 de Julho, sábado, as portas do Jardim Botânico Tropical estão abertas entre as 12h e as 23h, enquanto no dia seguinte, 3 de Julho, encerram às 22h30. A entrada no recinto custa 10€ (gratuita para crianças até aos 12 anos) e os pratos têm o preço único de 6€. Os bilhetes estarão à venda em breve, mas é já possível fazer pré-reserva através do site www.foodtopiafeast.com ou do email info@foodtopiafeast.com.

Sugerir correcção
Comentar