OE2022 saiu ileso da inflação, o seu sucessor não terá a mesma sorte

Se em 2022 o Governo conseguiu, nas contas do orçamento, compensar o custo de medidas de mitigação da inflação com um aumento da receita fiscal, no OE2023 poderá ficar a braços, por causa da taxa deste ano, com acréscimos significativos de despesas com salários e pensões.

Foto
LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

As contas da maioria dos portugueses já estão a ser marcadas negativamente pela inflação, mas o Orçamento do Estado que será aprovado esta sexta-feira, ao não avançar para uma aceleração das despesas com salários e pensões, ainda consegue passar ao lado do efeito negativo que a subida dos preços pode trazer para as contas públicas. Esse impacto, contudo, pode estar apenas a ser adiado por quatro meses, sendo já sentido no OE para 2023 que o Governo irá apresentar em Outubro.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários