Pacto de segurança com as ilhas Salomão é apenas uma peça do puzzle que a China quer montar no Pacífico

Chefe da diplomacia chinesa está no arquipélago para fechar um acordo de cooperação “modelo”, na primeira de oito paragens em dez dias. Leva na mala uma proposta para uma parceria alargada a vários países da região, que os críticos dizem que ameaça a “estabilidade regional”. Em resposta, Austrália envia ministra até às Fiji.

Foto
Wang Yi, ministro dos Negócios Estrangeiros da China, está numa missão diplomática pelas ilhas do Pacífico Reuters/POOL

A batalha geopolítica entre as potências do Pacífico está mais intensa do que nunca, com a República Popular da China a lançar-se, nesta quinta-feira, numa operação diplomática em larga escala, para tentar obter vantagens e superiorizar-se a países com interesses estratégicos na região, como a Austrália, a Nova Zelândia, os Estados Unidos ou o Japão.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários