Mercado do Bom Sucesso celebra 70 anos com música e degustações

Esta quinta e sexta, há festa no mercado, onde, há uma década, as bancas de legumes, peixarias e talhos deram lugar a quiosques e restaurantes. As “duas vidas” do Bom Sucesso são agora festejadas, incluindo com concerto de Pedro Abrunhosa.

Foto
O mercado do Bom Sucesso celebra 70 anos com dois dias de festa Teresa Pacheco Miranda

Passaram 70 anos desde que o Mercado do Bom Sucesso (MBS) foi inaugurado e a nova gestão do espaço quer assinalar a efeméride. O programa das festas está marcado para esta quinta e sexta-feira e será preenchido com música, degustações e intervenções artísticas.

Longe vão os tempos em que o MBS funcionava como mercado tradicional. De há cerca de dez anos para cá, o espaço foi convertido num ponto dedicado sobretudo à restauração. O passo foi dado, nessa altura, pela construtora Mota-Engil, que detinha a maioria do capital da Mercado Urbano, responsável pela nova vida que o espaço ganhou.

Em 2020, a Mercado Prime e a Sonae Sierra assumiram a gestão do espaço e partiram para nova requalificação. Os trabalhos foram concluídos ainda durante o ano passado, em plena pandemia. O mobiliário dos quiosques dedicados à restauração foram substituídos, o palco passou para uma zona mais central e foi instalado na antiga zona de frescos um supermercado Continente Bom Dia. Da antiga gestão herdou-se ainda o Hotel Música com entrada também feita pelo exterior. No interior há 26 bancas de restauração com várias propostas diferentes, com destaque para a cozinha portuguesa. Ao todo, no interior e no exterior, existem 40 lojas e restaurantes. No edifício também está a Fundação Manuel António da Mota.

Para celebrar os 70 anos do mercado, Pedro Abrunhosa sobe ao novo palco às 21h de quinta-feira para um concerto intimista que revisitará o seu reportório. No dia seguinte. À mesma hora tocam os The Sensual Theme Show. Durante os dois dias haverá degustações nos vários quiosques do espaço. A Leitaria da Quinta do Paço, pastelaria antiga da cidade, aproveitará o momento para lançar um novo éclair alusivo ao MBS. No exterior, durante os dois dias, a designer Mariana, a Miserável levará a cabo uma intervenção artística com a pintura de um mural ao vivo. O logótipo original também foi recuperado.

O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
O Mercado do Bom Sucesso foi inaugurado há 70 anos. Desde há cerca de 10 anos deixou de ser um mercado tradicional para se dedicar à restauração. Teresa Pacheco Miranda
Fotogaleria
Teresa Pacheco Miranda

“Queremos celebrar sete décadas de um espaço que é ponto de encontro dos portuenses e de todos os que visitam a cidade”, afirma Marco Massano. São setenta anos divididos entre duas vidas. As bancas de legumes, as peixarias e os talhos deram lugar, há cerca de dez anos, a quiosques e restaurantes que servem bacalhau assado com broa, arroz de tomate com bolinhos de bacalhau, francesinhas, leitão, rissóis, croquetes, sandes de pernil ou marisco e vinhos e cerveja de várias regiões e países.

Será este o conceito que será seguido pelo mercado nos próximos anos, assegura a nova gestão, que depois da remodelação feita no piso zero quer fazer o mesmo no piso superior onde ainda existe um espaço por ocupar. Já lá está um restaurante e, em princípio, a fracção vazia será ocupada por “outro restaurante onde quem lá vai pode estar com mais tempo e sem pressas”.

Mas o trabalho no mercado ainda não está fechado. “Isto é um projecto em andamento e em constante desenvolvimento”, afirma Marco Massano.

Sugerir correcção
Comentar